top of page

LENDA URBANA DE ARRAIAL DO CABO: Conheça a historia de Chaco, O Lobisomem

Quantos mistérios são guardados em Arraial?

Hoje, vamos apresentar uma história de suspense que aconteceu bem aqui na Praia Grande.

Chaco, como era conhecido, era um pescador de aparência um tanto grotesca, que costumava gritar pela Praia Grande vendendo seus peixes, e dizem que se fazia ouvir por todo o Arraial.

Filho de Martiniano, famoso por fazer as melhores esteiras da cidade e, ao colocar as esteiras a venda, carregando-as nas costas, anunciava as mesmas como "colchão de molas". Acontece que Chaco vivia embriagado, e herdara do pai um título pra lá de estranho: era o lobisomem do Cabo.

A história corria pelos quatro cantos da cidade, alimentada por fatos impressionantes: em algumas oportunidades, Chaco desaparecia misteriosamente, e em seu lugar aparecia um

imenso cachorro preto. Quando Chaco reaparecia, vinha com o rosto sujo de tripas de peixe.

A curiosidade e o desejo de provar que ele realmente era um lobisomem, fez com que o senhor Teixeira, conhecido pescador, tentasse descobrir a verdadeira identidade de

Chaco. Após ver a aparição do tal cachorro preto e persegui-lo sem sucesso, o Sr. Teixeira procurou a mãe de Chaco e lhe relatou o ocorrido. Para seu espanto, a mãe informou que seu filho havia chegado em casa com restos de tecido em seus dentes.

Ao descobrir que sua mãe havia conversado com o pescador, Chaco o convidou para pescar com ele a noite, na Praia Grande.

Assustado e curioso, ele aceitou o convite. Mas não compareceu: em seu lugar, um boneco de pano, cheio com melões de São Caetano, foi colocado no alto do Morro da Boa Vista. Enquanto observava de longe, seu Teixeira viu boneco ser estraçalhado. Uns dizem que era um irmão de Chaco.

Esta história consolidou a fama do lobisomem.

Infelizmente, o fim de Chaco foi muito trágico: ele foi assassinado por rapazes que o assaltaram na Praia Grande, num crime que chocou a população.

Naquele fatídico dia, o imenso cachorro preto não apareceu para resguardar a vida

do Lobisomem do Cabo.


E quem quiser, que conte outra!


Texto: Andrea Tinoco

Arte: Raphael Barreto





327 visualizações0 comentário
bottom of page